Título: Um Perfeito Cavalheiro – OS BRIDGERTONS Vol. 3
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Ano: 2014 / Páginas: 304
Skoob: Adicione
Adquira o seu: Amazon | Americanas | Saraiva | Submarino

Esse livro é uma releitura da Cinderela.

 

“Seja gentil, e tenha bondade. E lembre-se: onde existe gentileza, existe bondade; e onde existe bondade, existe magia.” – Cinderela.

No ano de 1.815, Sophie ainda era um bebê e foi deixada na porta do Conde Gunningworth. Era um escândalo ter um filho ilegítimo naquela época. Contudo, Richard a acolheu, mas para não prejudicar sua reputação, ele divulgou para a sociedade que ela era apenas sua pupila, pela qual ele zelaria, cuidando de seu vestuário, educação e alimentação.

E assim foi a vida de Sophie. O pai sempre lhe proporcionou estudo, conforto, comida, uma mesada… ele só esqueceu de dar a ela o mais importante: amor. Apesar disso, ela vivia muito bem, a única parte ruim de sua vida era que não tinha amigas, não era convidada para nenhum chá ou passeio, por conta de ser apenas uma ‘pupila’, e o pior: sentia falta do pai, apesar da indiferença com que ele lhe tratava.

“Não passava de um sonho, mas fazia muito tempo que ela se permitira sonhar pela ultima vez.”

O tempo passou e o Conde decidiu, enfim, casar-se. Quando Sophie descobriu, ficou super contente, pensando que finalmente teria uma família. Entretanto, ao conhecer sua madrasta (e suas duas filhas), não foi exatamente como ela esperava.

Um certo tempo depois, o Conde acaba falecendo, deixando um dote generoso para as três filhas e dinheiro para a viúva. Sophie passa a ser tratada da pior maneira possível, como se fosse lixo e passa a fazer o serviço da casa de três criados, sem receber um centavo. Ela vira literalmente a escrava da madrasta.

Quando chegou a notícia de que Lady Bridgerton faria um baile de máscaras, Sophie consegue ajuda de uma das criadas e vai ao baile, mascarada e com um vestido prateado belíssimo. Ela acaba ficando irreconhecível, o que atrai a atenção de todos, especialmente de Benedict, o segundo filho Bridgerton, que imediatamente se encanta pela moça. Ele se apaixona pela alegria que ela expressa apenas em seu olhar, pois não é qualquer um que possui essa pureza.

Ela brilhava. Cintilava.
Era absolutamente radiante, e Benedict de repente se deu conta de que era porque parecia… feliz. Feliz por estar onde estava, feliz por ser quem era. Feliz de uma forma que Benedict não conseguia se lembrar de ter sido. Ele tinha uma vida boa, talvez até mesmo ótima. Tinha sete irmãos maravilhosos, uma mãe amorosa e um monte de amigos.
Mas aquela mulher…
Ela sabia o que era alegria.
E Benedict precisava conhecê-la.

Ambos passam algum tempo juntos, Sophie fica super feliz por estar ‘livre’ de certa forma, e ele fascinado por ela. Foi um momento muito mágico e bonito que compartilharam. Até o relógio tocar à meia-noite, e Sophie sair correndo, sem lhe dizer o nome, pois precisa chegar em casa antes da madrasta.

-Esta noite estou transformada – sussurrou ela. – Amanhã, eu desaparecerei.
Benedict a puxou para perto e deu um beijo breve e suave na sobrancelha dela.
-Então teremos que fazer uma vida inteira caber nesta noite.”

No dia seguinte, a condessa expulsa Sophie de casa, sem direito a nenhum vintém. A pobre moça, que acaba de completar seus 20 anos, fica jogada a própria sorte. Três anos depois, trabalhando em uma casa de família, o filho da casa tenta abusar sexualmente de Sophie, no entanto, ela é salva por Benedict.

Ele não a reconhece, porém se sensibiliza com sua situação e oferece emprego para ela, que aceita. Sophie sonhou com ele todos esses anos, mas não sabe que ele também tem sonhado com a ‘moça de vestido prateado’. Ambos nutrem esse amor proibido, pois é impossível acontecer qualquer coisa, já que são de classes sociais diferentes. Muitos obstáculos irão aparecer para nosso casal, a jornada não será nada fácil!

Nossa história começa ai, com nosso casal se conhecendo, virando amigos e esta amizade evoluindo para algo mais forte.

“Estava tão errada em querer uma noite de magia e amor?”

Achei que Benedict foi um personagem muito generoso, o dinheiro não lhe deixa arrogante, pelo contrário, ele é muito humilde. É muito responsável e não é um rapaz fútil, ele enxerga a alma das pessoas, aprecia o que vem do coração, gosta de atitudes verdadeiras e espontâneas, um dos motivos por ter se encantado tanto por Sophie. Ele sabe ser muito fofo e sexy também. O título do livro faz jus a Benedict, mas ele não é perfeito, aliás ninguém neste mundo é! Foi muito cavalheiro sim, se formos analisar a época em que a história se passa. Mas, em alguns momentos, quando questionava em ficar ou não com Sophie, por conta das possíveis críticas da sociedade, ele acabou me irritando. Mas entendo, afinal, costume da época era assim mesmo. E quanto mais fui conhecendo-o, mais fui me apaixonando.

“Precisava dela como precisava de oxigênio.”

Sophie é uma protagonista muito forte e determinada, eu a admiro bastante! Mesmo tendo sofrido tanto, ela nunca abaixou a cabeça para a vida, pelo contrário, sempre lutou, sempre manteve o queixo erguido, pronta para pegar no pesado, pronta para fazer valer cada dia. Ela é muito doce, carinhosa e tem um coração maior que ela, deseja somente o bem para todos que a cercam. Tem fortes convicções e princípios, sempre os colocando em primeiro lugar, antes de tomar qualquer decisão. Ela é muito segura de si e verdadeira, é impossível não amá-la!

“-Eu posso viver com você me odiando – disse ele em direção à porta fechada. – Só não posso viver sem você.”

A madrasta de Sophie é muito cruel, mesquinha e muito irritante! Que mulher sem coração! Fiquei com ódio dela, dava vontade de entrar no livro para estrangulá-la. Odiei muito essa personagem, muita raiva dela, MUITA!

Lady Violet Bridgerton (mãe de Benedict), como sempre, foi uma personagem amorosa, justa e acolhedora, adoro a forma com que ela lida com as situações, ela tem muita bondade dentro de si! É uma das minhas personagens preferidas da série, a admiro muito.

“Desde o instante em que a vira não, desde antes de avistá-la, quando apenas sentira sua presença, – o ar parecia estar mais vivo, crepitando de tensão e entusiasmo. E ele se sentiu vivo também, de uma forma que não experimentara havia anos, como se tudo de repente fosse novo e animado, cheio de paixão e sonhos.

Sobre os outros irmãos Bridgertons, a cada livro que passa eu fico mais a vontade com eles! Cada um tem seu jeitinho especial e único, não tem como não ir se afeiçoando. Eles formam uma família da qual eu gostaria de fazer parte!

Eu gostei dos dois primeiros volumes da série Bridgerton, porém essa releitura maravilhosa me conquistou! Julia Quinn tem uma escrita leve, fluída, divertida e muito gostosa, que te deixa sempre com uma sensação boa no fim da leitura. Um perfeito cavalheiro tem uma boa carga dramática, porém, a autora soube dosar com cenas divertidas, sensuais e com um pouco de romance. Não foi apenas uma releitura da cinderela, Julia foi além e transformou em algo que vale a pena ser lido, sim! Super recomendado, principalmente para quem curte romances de época.

Você é o motivo pelo qual existo. O motivo pelo qual eu nasci.

 

AVALIAÇÃO: 5/5 + FAVORITO


 

SINOPSE:

Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.


 

Confira todos os livros da série: