Da série: As Quatro Estações do Amor
Autora: Lisa Kleypas
Ano: 2015 / Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Skoob: Adicione
Compre: Amazon | Submarino | Americanas | Saraiva

SINOPSE: Apesar de sua beleza e de seus modos encantadores, Annabelle Peyton nunca foi tirada para dançar nos eventos da sociedade londrina. Como qualquer moça de sua idade, ela mantém as esperanças de encontrar alguém, mas, sem um dote para oferecer e vendo a família em situação difícil, amor é um luxo ao qual não pode se dar. Certa noite, em um dos bailes da temporada, conhece outras três moças também cansadas de ver o tempo passar sem ninguém para dividir sua vida. Juntas, as quatro dão início a um plano: usar todo o seu charme e sua astúcia feminina para encontrar um marido para cada, começando por Annabelle.

No entanto, o admirador mais intrigante e persistente de Annabelle, o rico e poderoso Simon Hunt, não parece ter interesse em levá-la ao altar apenas a prazeres irresistíveis em seu quarto. A jovem está decidida a rejeitar essa proposta, só que é cada vez mais difícil resistir à sedução do rapaz. As amigas se esforçam para encontrar um pretendente mais apropriado para ela. Mas a tarefa se complica depois que, numa noite de verão, Annabelle se entrega aos beijos tentadores de Simon… e descobre que o amor é um jogo perigoso.

No primeiro livro da série ‘As Quatro Estações do Amor’, Annabelle sai em busca de um marido, mas encontra amizades verdadeiras e desejos intensos que ela jamais poderia imaginar.

Annabelle Peyton é extremamente dedicada à família. Mora apenas com o irmão e a mãe, vivem com dificuldades financeiras, devido a falta de controle sobre o patrimônio deixado pelo pai, e por isso que seu objetivo é arrumar um marido o mais rápido possível. No entanto, já é sua quarta temporada e ainda não foi cortejada por nenhum cavalheiro. E não é por falta de beleza muito menos de modos. Pelo contrário, é muito bonita e encantadora. O problema é a falta de dote. Nessa época, anos , a aristocracia londrina era exigente, o dote era essencial para que as mulheres arranjassem um bom parceiro.

Annabelle frequenta os bailes e eventos, mas sempre sentada, com sua caderneta de dança nas mãos, aguardando que algum rapaz venha anotar seu nome e lhe tirar para dançar. O tédio é tanto que ela repara em outras 3 moças sentadas ao seu lado e percebe que sempre ficam as 4 ali paradas.

Precisamos fazer um pacto para ajudar umas às outras a encontrar um marido. Se os homens não vierem atrás de nós, iremos atrás deles. O processo se mostrará muito mais eficaz se juntarmos forças, em vez de avançar individualmente.

As moças se chamam Lillian, Daisy e Evie. Descobrem que tem uma coisa em comum: a solteirice. Portanto, fazem um pacto de amizade, onde vão se ajudar, até que encontrem marido para todas, a começar por Annabelle pois é a mais velha (25 anos) A amizade que as une é divertida, é ótimo acompanhar as cenas delas juntas.

Tinha ganhado, de uma única vez, três amigas com quem possuía algo em comum, apesar de suas origens serem radicalmente diferentes. Eram todas jovens, com sonhos, esperanças e medos – cada uma delas totalmente familiarizada com a imagem de um cavalheiro de sapatos negros e polidos andando em sua fileira de cadeiras em busca de algo mais promissor. As solteironas não tinham nada a perder ajudando umas às outras, e sim tudo a ganhar.

Conhecemos Simon Hunt, nosso mocinho: ele vem de uma família simples, tem orgulho de ser filho de um açougueiro e de fazer parte da classe operária. Trabalhou muito na vida como empresário, é apaixonado pelo trabalho e não o largaria de forma alguma. Isso é um tanto peculiar para os rapazes daquela época, que pensavam apenas em ‘administrar’ o que já possuíam, era raro eles pararem pra ‘botar a mão na massa’. Empresários não eram muito bem vistos, não sendo, portanto, alvos para o casamento. O título era muito mais importante do que o dinheiro.

Se houvesse um pingo de poesia na alma de Simon, ele poderia ter pensado em dezenas de versos arrebatadores para descrever os encantos dela. Mas ele era plebeu até os ossos e não conseguia encontrar palavras que descrevessem com precisão a atração que sentia.

Simon flerta com Annabelle há algum tempo, inclusive a beijou uma vez num circo, mas depois disso não se falaram mais. Agora, ele retoma seu interesse nela e sabe que está sem condições financeiras, portanto, pensa em fazê-la sua amante, já que não pensa em casar tão cedo.

O cheiro dele, uma mistura de sabonete e notas frescas, tão maravilhosamente masculino, deixou-a tonta. Desejava abrir caminho em meio às roupas dele – desejava que ele a beijasse até fazê-la perder os sentidos. Deseja o desprezível, arrogante, sedutor e diabolicamente belo Simon Hunt. Ah, mas ele seria impiedoso com ela.

Apesar disso, ele é protetor, paciente, carinhoso e fácil de se apaixonar. Annabelle que o diga! Curti muito o romance deles, foi acontecendo devagar através de pequenos gestos. Foi bem gostoso de acompanhar.  Recomendo muito Segredos de uma noite de verão por ser uma leitura leve e divertida, que vai te deixar sorrindo depois que terminar. O livro possui sim algumas reflexões e não achei a construção dos personagens clichê. Foi muito bem escrito e desenvolvido. Fiquei apaixonada pelas capas também hahaha Tenho muito interesse em acompanhar a história das outras moças! Indico a todos que adoram um bom romance – especialmente de época.

Eu estava errada quando lhe disse que não sabia o lugar a que pertencia. Eu sei. Meu lugar é ao seu lado, Simon. Nada mais importa, exceto estar com você.

Lembrando que são 4 livros:

AVALIAÇÃO: 5/5