Ano: 2016 / Páginas: 274
Editora: Biblioteca 24 horas
Skoob: Adicione
Compre: Amazon | Livraria cultura
Ou adquira diretamente com o autor: lima_marco@hotmail.com

Sinopse: Três anos após o exílio do Dalai Lama, nasce um menino no coração da cidade de Lhasa. Órfão, Bidth não possui raízes. Aparentemente solitário no mundo que acabara de conhecer, a criança surpreende, impactando a todos com a sua impressionante alegria no olhar. Criado nos seus primeiros meses dentroe um orfanato Bidth desperta a atenção de monges e lamas de um mosteiro, além de um mestre chinês de Kung Fu, pois o seu destino evidenciava-se como o de um possível encantador de almas.

Bidth criança capaz de promover o sentimento de paz e equilíbrio em qualquer ambiente, aprende conceitos orientais diversos apoderando-se não somente da compaixão tibetana. Aprende também a visão japonesa zen e se fortalece com a visão taoista do yin e o yang chinês. Adotado e abastecido pelos ensinamentos de seus mestres, o menino ultrapassa seus anos no Tibete, produzindo mensagens, através de ações e comportamentos inusitados, dentro e fora do mosteiro, e cercado por diversos outros personagens familiarizados com o seu brilho e o seu carisma. Palavras como compaixão, bondade, desapego, aceitação e equilíbrio, descrevem bem a personalidade de Bidth. Um nome que, em sânscrito, possui como significado algo que melhor lhe representa: a sabedoria.

 

Eu vejo equilíbrio no olhar do menino … um olhar de um ser que já nasceu pronto para muitos desafios da vida.”

Bidth, (significado do nome: sabedoria), filho de Jose (um homem que fugiu e nunca viu o filho) e Ah-Way (a mãe que faleceu no parto) foi adotado por um grupo de monges tibetanos e a única vida que conhece é o mosteiro. Os monges, Young, Dalba e Re Ba se apegaram muito a Bidth! Desde o início, eles sabiam que não haviam adotado uma criança comum, ordinária… pelo contrário, ele é extraordinário!

Bidth demonstrava uma rara riqueza emocional, capaz de dispersar tristezas e ressentimentos em qualquer ambiente frequentado.

Bidth exala pureza, bondade, gentileza, carinho, alegria, respeito e luz por onde passa. Ser criado num mosteiro lhe proporcionou conhecimentos distintos, em comparação as demais crianças. Desde os quatro anos, sempre praticou Kung Fu. Os monges lhe ensinaram muito sobre fé, esperança, felicidade e principalmente sobre o desapego.

Promover o desapego significa acreditar que uma mesma história pode ser contada de várias formas, que a leitura de um texto não é composta apenas por uma única interpretação e que o sabor de um chá não precisa ficar restrito apenas a uma única forma de preparo.

Algo que sempre impressionou os monges foi a estabilidade emocional de Bidth. Por acreditarem no yin e yang, sabem que as pessoas devem buscar o equilíbrio em todas as suas ações e emoções. E isso, nosso garotinho tem, desde pequeno, sempre conseguiu atingir o estado zen. E tudo sozinho, pois é algo que vem de dentro dele!

O obstáculo e a filosofia do yin e yang. Como integrá-los? Nas palavras do mestre Young, o yin pode ser a humildade para reconhecer um problema não solucionado. Assim como o yang, a busca e a atitude para resolver, apontando soluções. Portanto, combinar a humildade com busca produz o equilíbrio, o que muitos chama de superação.”

O yin é o estado mais frágil, o sofrimento. O yang, o estágio mais lutador, a superação. O ensinamento nos mostra que exageros nos induzem a erros.

Seu amigo de infância, Song Po esteve ao seu lado, assim como os pais dele, Amrita e Chong Po, que tratavam-o como se fosse parte da famíia. Bidth teve a oportunidade de trabalhar na loja da família por um tempo, e com isso, contagiou outras pessoas com sua alegria.

Façam tudo o que for possível com alegria, pois esse é o único sentido de tudo. Caso contrário, não sentimos a vida e nos tornamos meros reprodutores de ações e comportamentos. A alegria é tudo! Jamais se esqueçam dela, mesmo nas dificuldades!

O livro nos apresenta grandes reflexões a respeito da vida. Nos permite mergulhar no Tibete e entender o que aconteceu durante o século XX, quando Dalai Lama foi exilado.

Me envolvi completamente com a leitura, parando várias vezes para refletir sobre pequenas coisas do meu dia a dia. Se Bidth conseguiu ser a alegria, ser a luz no dia de tantas pessoas, por que não podemos ser também? Passei a ter um carinho muito grande por este pequeno, ele me ensinou coisas que eu já conhecia, mas que nunca coloquei em prática.

Quanto mais claro e definido é um sonho, maior a chance da conquista.

Bidth é honesto, humilde, inteligente, altruísta, atencioso, forte e coloca a bondade sempre em primeiro lugar, um forte motivo para que eu o admire ainda mais! Ele é um exemplo que todos nós devíamos seguir.

Este é um livro que indico para todos os públicos. É uma história que MERECE MUITO ser lida. Tenho certeza de que você irá extrair somente coisas boas daqui.

A vida é um presente da natureza. Uma dádiva oferecida aos afortunados. Poucos percebem o seu verdadeiro sentido, como algo que existe para ser vivido no seu devido tempo. Quando valorizamos cada sorriso, compartilhando nossos momentos com amigos, familiares, filhos e netos. Fragmentos de alegria que, quando juntos, compõe a obra final que muitos chama de felicidade.

E ai? Quer mais motivo do que esse para ler o livro?

Reflexão, ensinamentos e uma ótima lição de vida são apresentados em Quando os anjos caminham sem asas. Não espere mais, adquira seu exemplar e venha se apaixonar pela história de Bidth!

Não devemos apenas nos espelhar naquele que passou pela dor e a superou – orienta Narayan – Procure também aquele que esteja passando por um nível de sofrimento maior do que o seu. Observe, com bastante atenção, se esta pessoa se encontra preparada para lutar. Caso não esteja, seja a inspiração! Muitas vezes, podemos servir como luz também para aquele que permanece na escuridão

Desculpem pelo excesso de quotes, mas eu amei muitos trechos desse livro! Espero que tenham gostado! Beijos e até a próxima!

AVALIAÇÃO: 5/5 + FAVORITO