Título: Peter Pan
Autor: J. M. Barrie
Editora: Zahar

Ano: 2013 / Páginas: 253
Skoob: Adicione

Adquira o seu: Amazon | Submarino | Americanas | Saraiva

 

Ninguém é velho demais para contos de fadas

Se você curte o filme da Disney, vai amar o livro! A história real é um pouco diferente, apesar de termos características semelhantes entre as duas. Caso você não conheça a história, vou contar um pouco:

Sr. e Sra. Darling possuem três filhos: Wendy, João e Miguel, e moram na Inglaterra. As crianças possuem uma babá super inteligente e cuidadosa: Naná, a cadela da família. Naná faz tudo pelas crianças, leva pra escola, ajuda no banho, da remédio, ajuda eles a se vestirem, entre outras coisas.

Todos os dias de noite, a Sra. Darling conta histórias para os filhos e Peter sempre está à espreita, ouvindo-as escondido. As crianças sempre sonham com a Terra do Nunca, que para eles é uma ilha cheia de brincadeiras e diversões. A mãe deles sabe sobre esses sonhos e sobre Peter, o menino que nunca cresce. Um dia, Peter aparece para visitar as crianças, mas sua sombra acaba ficando presa na casa. A Sra. Darling encontra e guarda para ele.

Todas as crianças crescem — menos uma. Elas logo descobrem que vão crescer,(…) a partir daí Wendy soube que teria de crescer. A gente sempre sabe, quando tem dois anos. Dois é o começo do fim.

Uma noite, os pais precisam comparecer à uma festa e deixam as crianças dormindo, trancando Naná do lado de fora da casa. E é aí que Peter Pan aparece novamente, em busca da sombra no quarto das crianças. Wendy e seus irmãos logo despertam, achando tudo aquilo muito natural. Peter os convida para irem à Terra do Nunca, mas só podem ir voando e se utilizarem o pó mágico de fada – mas não de qualquer uma, de sua ‘fada de estimação’, a Sininho. Há também uma parte interessante, sobre ter fé nas fadas. Se as crianças não acreditassem, elas não existiriam.

Quando o primeiro bebê riu pela primeira vez, o riso se despedaçou em milhares de partes e todas elas se espalharam, foram saltando. E assim nasceram as fadas

Para as crianças, tudo isso é muito novo e incrível, pois nunca pensaram que conseguiriam voar, muito menos para o local de seus sonhos. Então, junto de Peter, decidem partir para ilha. Eles fazem uma longa viagem, sempre fazendo manobras e brincadeiras do céu até o mar, curtindo ao máximo essa experiência.

Segunda estrela à direta, direto até o amanhecer!

Achei a Terra do Nunca fascinante e ao mesmo tempo insana! Não há muitos que são equilibrados psicologicamente. Tudo pode acontecer aqui! As crianças não tem limites, muito menos os outros moradores. Brincadeiras são brincadeiras até a hora em que Peter se cansa e passa a ir atrás de violência. E normalmente, gosta de atormentar os piratas, especialmente o  temido Capitão Gancho.

Durante a estadia deles na Terra do Nunca, há também um verdadeiro banho de sangue, uma espécie de ciclo vicioso: “As feras” da ilha, que englobam todos os animais selvagens (tigres, onças, cobras) correm atrás dos índios da tribo pele vermelha, que correm atrás dos piratas, que correm atrás dos meninos perdidos que gostam de atormentar os piratas, mas fogem deles. E ninguém na ilha hesita em matar, se necessário. Os meninos perdidos gostam de matar, pois são incentivados pelo líder, Peter Pan.

Eu sou a juventude, eu sou a alegria – respondeu Peter num impulso

 

Peter Pan é um personagem complexo. Ele possui esse medo terrível de não crescer, mas não simplesmente porque não quer crescer, mas porque fica se lembrando do passado e de como foi sua vida antes de tudo. E tem mais, ele possui transtornos psicológicos sérios; não tem a capacidade de manter suas relações, especialmente com as mulheres da história. Não sabe identificar o que realmente querem, mesmo que isso fique explícito. Ele é um menino muito criativo, brincalhão, mandão e impulsivo, faz e diz a primeira coisa que lhe passa pela cabeça. Se prende muito a situação presente, não se importando com as consequências. 

Os meninos perdidos são carentes e obedecem todas as ordens de Peter sem questionamentos, eles se espelham nele e acham que tudo que faz é o certo. Ao chegar na ilha, Wendy (nossa personagem mais madura e sábia) age como mãe para os meninos e Peter como pai; fingem ser uma família tradicional, pois os meninos perdidos não sabem como é isso, não se lembram da sensação de ter pais que se preocupam. Então, Wendy cuida deles, cozinha, lava e conta histórias de dormir. João e Miguel, entram na brincadeira e, com o tempo, acabam esquecendo que tem pais de verdade e que Wendy é apenas sua irmã.

No meio deles, a pérola maior e mais negra dessas jóias tenebrosas, lá vem recostado o Capitão Gancho, Jamie Gancho (…) Todo mundo costuma dizer que ele é o único sujeito de quem até o diabo tem medo.

Os piratas são liderados pelo famoso vilão Capitão Gancho, que possui sede de vingança, pois perdeu uma de suas mãos por conta de Peter (que fez isso por puro prazer); O Gancho treme de medo do crocodilo, que já conseguiu provar o sabor de sua mão e, desde então, quer o resto de seu corpo. Ele é um personagem guiado pelos bons costumes e etiqueta, e creio que a rivalidade com Peter nasceu disso, pois nosso menino é um ótimo exemplo de maus modos.

Os índios da tribo pele vermelha são liderados pela Princesa Lírio Selvagem, India Tigrinha, que apareceu muito pouco. Há também as sereias, que são muito más, egoístas e vaidosas.

Enquanto as crianças forem alegres, inocentes e de coração leve. 

Apesar dos aspectos que citei sobre a personalidade de Peter, consegui tirar uma boa lição: devemos curtir o presente ao máximo, assim como ele. Todos os dias é um novo dia para se divertir, para fazer coisas que gostamos, para sorrir e brincar. Temos que pensar desse modo, aproveitar ao máximo o que a vida tem para oferecer.

O narrador é onipresente e em primeira pessoa, ele interage com os leitores, nos explicando coisas e nos questionando. A escrita é fácil e voltada para o público infantil. O interessante do livro é que, cada um enxergará a história de um jeito, depende da sua idade. Mesmo assim, eu amei demais, fiquei super envolvida. Peter Pan é um clássico mundial, repleto de aventuras e muita ação! O livro fluiu super rápido e quando percebi, já tinha finalizado. Super recomendado!

Sobre a edição da Zahar: Eu achei maravilhosa essa edição! Se for adquirir, compre esta!

 

AVALIAÇÃO: 5/5 + FAVORITO