Título: Crave a Marca
Autora: Veronica Roth
Ano: 2017 / Páginas: 480
Editora: Rocco
Skoob: Adicione

Adquira o seu: Amazon | Submarino | Saraiva | Americanas

SINOPSE: Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.

 

TROUXE UMA RESENHA POLÊMICA HOJE HAHAHA Este é um lançamento de março desse ano! Vamos lá! Preciso dizer que esse universo funciona assim:

A galáxia possui diversos planetas que são habitados por povos com culturas diferentes e, todos eles idolatram uma ‘corrente azul’ (quase como se fosse Deus) que passa através dos planetas conectando tudo e todos, supostamente lhes dando ‘dons’ que eles nomeiam como ‘dom da corrente’. Fortuna para eles, é o destino. Dom, nem todos possuem, apenas alguns são ‘afortunados’.

Cyra Noavek é da “realeza” shotet (planeta), filha do imperador, sempre viveu cheia de luxos. Sua vida seria perfeita se seu dom não fosse esse: seu toque é letal, basta tocar em alguém para fazê-lo sentir dor. Além disso, ela sente dor dia e noite, assim como vê sombras deslizando pela sua pele, prontas se deslocarem para alguma vítima. Perdeu os pais quando mais nova e, desde então, vive apenas com seu irmão Ryzek, o atual imperador: manipulador, egoísta, arrogante e obssessivo em mudar sua fortuna (destino), decide um dia sequestrar o próximo oráculo.

Ryzek se aproveita do dom de Cyra para usá-la como arma. Ele ameaça seus prisioneiros, fazendo com que sua irmã faça-os sentirem dor e, assim, revelem os segredos. Vários já morreram pelas mãos de Cyra, o que a faz acreditar que nasceu para fazer isso: machucar os outros e pior, que ela merece toda dor que sente.

Nosso outro protagonista, Akos, vive em Thuvhe com seus irmãos e pais – filho de um fazendeiro e de uma Oráculo (que prevê o futuro). Até que um dia, alguns shotets matam seu pai, capturando ele e Eijeh (seu irmão mais velho).

Foi Ryzek quem os capturou, pois a fortuna de Eijeh é ser o novo oráculo e, se ele tiver controle sobre o novo oráculo, conseguirá mudar seu destino. Enquanto Ryzek tenta extrair o máximo de Eijeh, fazendo-lhe uma lavagem cerebral, Akos fica prisioneiro dos shotets e decide que seu grande objetivo é salvar seu irmão e fugir para Thuvhe, porém há muitas barreiras e obstáculos.

No meio disso, acaba conhecendo Cyra. Descobrem juntos que, eles podem se tocar sem que sintam dor e, que ele anestesia a dor que a perturba diariamente. Aos poucos, nasce uma amizade. Akos abre os olhos de Cyra, mostra que ela não é nenhum monstro como todos acreditam, que ela é forte e é muito mais do que uma arma.


OPINIÃO PESSOAL:

Achei a leitura arrastada nas primeiras 200 páginas, foi difícil viu. O fato da narrativa da Cyra ser em 1º pessoa e de Akos em 3º pessoa, me confundiu bastante no início! Só DEPOIS DE 60% do livro, que a leitura deslanchou! Tiveram algumas reviravoltas, um pouco mais de ação, surpresas e traições.

O personagem que mais gostei foi a Cyra. Acho que ela foi mais bem desenvolvida do que os outros.  Ela é forte, determinada e luta pelo que quer. Sem contar na bagagem de sofrimento que carrega, ela tem um trauma e tudo mais. Mas Akos não foi muito interessante pra mim, exceto o fato dele querer fazer de tudo pra recuperar o irmão – ele é bem sem graça.

O universo em si não está totalmente construído, parece que está faltando algo. De verdade, a Veronica não soube elaborar bem a trama, deixou muitas pontas soltas que me incomodaram. Sei que terá uma continuação, mas ainda assim, eu não gostei de como tudo funcionou.

Outro ponto negativo: não consegui shippar o casal principal (Akos e Cyra). Queria que tivesse acontecido, mas não rolou pra mim! E olha que tentei gostar rs. 

Por ser um mundo novo, é normal que a autora queira nos apresentar tudo, lugares, costumes, aparência, etc, mas pode ser isso que tenha feito muitos desistirem. Eu digo isso pelo fato de ter diversos nomes/classificações esquisitas, foi como se a autora jogasse tudo na nossa cara, achando que a gente ia entender! Sendo que é tudo novo, entende? Tem um glossário sim, mas gente, ficar indo TODA HORA lá é desgastante! Fiquei bem confusa e perdida com nomes, terminologias, ambientação, personagens, etc. Eu quase abandonei várias vezes, não vou mentir. Não estou com muita vontade de ler o próximo… quem sabe eu mude de ideia.


Mas eu indico a leitura se você curte distopia/fantasia (porque é uma mistura de tudo isso), vai que você gosta né? Todos temos opiniões/gostos diferentes. Se não funcionou pra mim, pode ser que funcione pra você!

OBS: Não trouxe quotes da história, porque eu estava com tanto tédio/irritada durante o livro, que nem gostei de nenhum hahaha


AVALIAÇÃO: 2.5/5