Autora: Karine Aragão
Editora: Muiraquitã
Páginas: 160
Skoob: Adicione

📓 SINOPSE:
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Quem nunca dividiu uma paixão adolescente com a melhor amiga? ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Aquele crush meio impossível, o carinha gato por quem as duas suspiram e nenhuma tem coragem de chegar perto. Até aí, tudo bem. Mas e quando tem o vislumbre dessa paixão migrar do campo platônico para o real, só que – claro – para apenas uma das amigas? O que fazer? Ficar ou não ficar, eis a questão…
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Júlia e Laura são melhores amigas – até fizeram uma tattoo juntas – e gostam do Bernardo, um garoto muito lindo do colégio. De repente, ele começa a ficar muito próximo de Laura, de conversinhas meio secretas e por aí vai. Júlia tenta relevar, amiga é amiga e vem em primeiro lugar, afinal. Entretanto, aquele aperto no peito é inevitável ao vê-los juntos.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E para quem achou que era só isso… A amizade entre Júlia e Laura sofrerá um baque imenso: um dia, Júlia acorda e descobre que sua melhor amiga tirou a própria vida. Além de ter que superar essa perda, a garota não entende o porquê da atitude tão drástica da amiga e resolve investigar o que poderia ter motivado o seu suicídio.

A Teia dos Sonhos apresenta aos jovens leitores a beleza e o poder da amizade, a dor de uma perda, o caminho da superação e no meio do caos, o amor.

Júlia e Laura são melhores amigas.

Júlia é a mais tímida, nunca foi boa em socializar, fazer novas amizades, frequentar festas do colégio… preferia fazer o que tivesse vontade, mesmo que fosse ficar em casa.
Por outro lado, Laura é como o sol: extrovertida, sincera, espontânea, animada e muito divertida. Laura sempre superou muito rápido os problemas, as notas baixas e o divórcio dos pais. Sempre disse que ninguém gosta de ‘pessoas tristes’ e, por isso, sempre buscou esquecer das coisas ruins, dos momentos que abalam nosso emocional…

A amizade delas sempre foi baseada em uma cumplicidade intensa, onde contavam tudo uma pra outra, compartilhavam as risadas, as lágrimas, as decepções com os pais… compartilhavam tanto que chegaram a gostar de um mesmo garoto, o Bernardo.

Até que, um dia na escola, ele decide conversar apenas com Laura, o que deixa a outra inquieta. Após a conversa, Laura conta que Bernardo queria ficar com ela. Nesse dia, Júlia desiste de Bernardo e abre mão do crush, afinal de contas, amizade sempre acima de tudo, certo? Decide que vai superar isso. Por Laura, apenas por ela. Sua melhor amiga e Bernardo ficam próximos muito rápido, o que é estranho inicialmente, mas Júlia prefere relevar isso – apesar dos ciúmes  – e deixa de lado.

A amizade que as mantém unidas é tão forte que Laura decide eternizá-la na forma de uma tattoo. Decidem que o desenho será uma Teia dos sonhos, pois é o símbolo da integração e da harmonia, o que representa muito bem as duas.  Uma sempre apoiando a outra, nos momentos felizes e tristes. Contentes e empolgadas, fazem a tatuagem, com a certeza de que, agora, a amizade vai durar a vida toda.

No dia seguinte, Júlia acorda e encontra alguém que raramente estava em casa – especialmente de manhã: sua mãe. Ela conta que Laura se jogou do 13º andar na noite passada. Nossa protagonista fica completamente sem chão, revoltada, perdida e angustiada. Se sente traída porque acreditava que as duas não mantinham segredos. Mas, pelo visto, estava enganada.

Laura escolheu a morte, esse foi o modo que ela encontrou pra acabar com a dor de viver. Porque viver dói, e muito.

É aí que vemos o quanto Júlia sofria por não ter a mãe presente. Pois, só agora, percebemos que ela decidiu auxiliar a filha a superar essa grande perda, parando de sair e se dedicando a casa, seu instinto materno lhe dizendo para ficar perto dela.

Outra coisa lhe surpreende: Bernardo se aproxima de Júlia, querendo descobrir o motivo do suicídio. Juntos, eles embarcam numa busca. Ela, cheia de dor, confusa e magoada… passa por todas as fases do luto, sendo sempre apoiada por ele. A amizade e a confiança vão nascendo, apesar de todos os olhares críticos da escola – pois acham que ela está ficando com o ex de sua melhor amiga. Contudo, aos poucos, ela aprende a lidar com os julgamentos.

Decerta maneira, acredito que a vida é um ciclo por diversos motivos.

A Teia dos Sonhos é uma história envolvente, que te prende do começo ao fim. É uma leitura de uma tarde, pois é bem intensa e rápida. A autora conseguiu abordar temas difíceis, que são o suicídio e a depressão, de forma leve, o que não é nada fácil, visto que o público alvo são os jovens. Mas Karine soube explorar o luto muito bem, nos mostrando que pra tudo há uma saída, nada é definitivo. Somente a morte. E, mesmo assim, conseguimos superá-la. É doloroso enfrentar a perda de um ente querido, mas não impossível.

O sono pode enganar a tristeza, mas não acabar com ela. Toda farsa chega ao fim.

Amei a escrita da Karine, ela me fez sentir o que a personagem sentia. A curiosidade é constante, fiquei o tempo todo querendo saber o verdadeiro motivo do suicídio. O amadurecimento da Júlia é notável. E o romance foi construído de forma singela e calma. A diagramação está ótima e a capa representou muito bem a amizade das meninas. Recomendo MUITO a todos!

A felicidade só pode existir enquanto estamos vivos.
A vida é sempre a melhor escolha.

Esse é um livro que merece destaque!

#EuApoioALiteraturaNacional

AVALIAÇÃO: 5/5


👉 SOBRE A AUTORA:
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Karine Aragão é doutora em Cultura Contemporânea, pelo Programa de Pós-Graduação da Puc-RJ. Leciona para adolescentes, em Niterói, desde 2010. Assumidamente apaixonada por contos de fada, Clarice Lispector, Fábio Jr. e Nicholas Sparks, acredita que as inquietações da adolescência começam para nunca terminarem. Afinal, somos apenas adultos de 20, 30, 40 e poucos anos, tentando disfarçar, com doses falsas de estabilidade, o tormento diante de todas as incertezas da vida…
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Saiba mais sobre ela em:

  • facebook.com/kkarinearagao
  • facebook.com/ateiadossonhos